VI (17/04/2010)

Um dia perfeito, a noite melhor ainda.
 
O dia estava lindo, orquídeas floridas em todos os cantos da chácara, o churrasco abundante, a cerveja farta e uma grande quantidade de amigos presentes. E o melhor ainda nem tinha começado. 
 
Logo pela manhã me deparei com minha linda orquídea, era um prenuncio do que estava por vir...
 
O blues & rock do "Aries Fest VI" começaram a rolar pelas 16 e se estendeu até quase às 23hs. A banda Alcatéia foi a primeira a tocar, em seguida veio o Márcio Pignatari, depois os garotos do Firekiss. Nosso amigo André e o Djalma do Triblues estavam presentes, mas desfalcados do baixista e guitarra base. Sem problemas! Formou-se uma nova banda com outros músicos presentes também sem banda. Mandaram muito bem clássicos dos Doors, Steve Ray Vaughan, entre outros. Por último veio o que sempre é mais legal, a impagável jam, que mistura todos os músicos presentes e acabam saindo as coisas mais legais. Tem guitarrista que vira baterista, batera que vem cantar, baixista que vira guitarrista e vice-versa, criando uma quantidade tão grande de formações que fica impossível de citar todas.
 
Mesmo num ambiente de pura festa, misturam-se muitas pessoas diferentes, o que pode gerar um certo ciúme e eventuais choques entre egos. No momento em que achei que isso poderia acontecer, fui surpreendido... Puxa, como conheço pouco meus amigos. Explico melhor, todos os anos aparecem mais e mais pessoas querendo tocar em nossa festa, dessa vez, mesmo não querendo fazer concessões, abrimos as portas para os garotos do Firekiss, cujo repertório está focado na fase poser dos anos 80 como Bon Jovi, Poison, Skid Row, bastante distantes do que mais nos apetece. Ao contrário do que eu esperava, praticamente todos os músicos presentes deram uma força e os incentivaram, mesmo sem o principal guitarrista que se acidentou quando estava a caminho.
 
Presentes estavam também os irmãos Gilberto e Fernando, dos quais já fui sócio e tivemos um bar em Osasco, onde tocavam classic rock. Já faz tempo que aposentaram a guitarra e as baquetas respectivamente, mas eles foram uma inspiração para vários dos músicos presentes, que iam ao Jeans Bar para vê-los tocar. Mesmo com os "aprendizes" já se igualando ou superando os mestres, é sempre um deleite ver os mestres tocarem. Não deu outra, na jam foram obrigados a participar dessa orgia musical.
 
A grande lição que ficou foi o respeito aos mais novos e a reverência aos mais velhos.
 
Seguem abaixo algumas fotos desse maravilhoso 17/04/2010.
 
 
Rafael do Alcatéia ao lado do seu case de gaitas
 
Alcatéia - Douglas, Pedro e Rafa, um arraso.
 
Marcos, Claudio (irmão) e Claudio (guatemala)
 
A noite foi invadida pela fragrância das Dracenas em flor e pelos clássicos do Blues tocados por Márcio Pignatari e banda
 
Os "garotos" do Firekiss.
 
André (G) e Djalma (B), e sua banda improvisada.
 
André e Djalma (formação "2" - sem André nem Djalma na foto)
 
André "Hendrix" com vários fazendo backing vocal e coreografias.
 
Os veteranos Gilberto e Fernando sendo capturados pelos seguidores Djalma e Márcio
 
Definitivamente começa a jam, com o peso de Black Sabbath na cabeça.
 
Troca-troca de posições, músicos e instrumentos
 
Festa!!!
 
Loucura total com Hoochie Koochie Man, Long Tall Sally e Sweet Home Chicago, para citar apenas algumas.
 
Backings
alucinados com Wild Horses dos Rolling Stones.
 
Galera ensandecida.
 
Djalma chama os garotos para participar com Rock you like a hurricane do Scorpions.
 
 
Birú, músico, letrista e amigo do Zé Geraldo está adorando!!!
 
A satisfação e a alegria são plenas.
 
 
Mesmo o que é bom tem um momento de acabar. Tudo bem, ano que vem tem outra, com novas jams e mais momentos inesquecíveis que jamais se repetirão.
 
Ricardo
Comments